quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Novo medicamento para Hepatite C

Hepatite C




Um novo medicamento, para tratamento da hepatite C, está em fase de aprovação nos Estados Unidos, prometendo curar cerca de 95% dos pacientes. O fármaco ainda não possui nome, o qual é um resultado de moléculas inovadoras e vem sendo pesquisado há cerca dez anos, onde apresentou alta taxa de eficácia e efeitos colaterais mínimos.
            Hepatite é uma inflamação no fígado, a qual pode ser causada por vírus, bactérias, medicamentos, álcool ou até mesmo por uma reação do próprio organismo. A grande maioria dos casos é causada por vírus, principalmente os tipos A, B, C. Ao adquirir a doença, a maioria das pessoas tem um quadro viral comum, como uma gripe: dores no corpo e febre. O problema é que, depois disso, até 85% das pessoas não conseguem eliminar o vírus naturalmente, tornando-se pacientes crônicos.
            A hepatite C é uma infecção no fígado causada pelo vírus VHC. Por ser uma doença silenciosa, muitas pessoas convivem com o vírus sem saber que estão contaminadas, e muitas vezes, quando recebem o diagnóstico, já apresentam estágios avançados da doença. É considerada uma doença grave, porém, o paciente em tratamento pode ter boa qualidade de vida, sem grandes alterações em sua rotina.
Estima-se que no Brasil, cerca de 3,2 milhões de pessoas estejam infectadas pelo vírus. A contaminação ocorre pelo contato com sangue em transfusões, seringas contaminadas, manicures, tratamentos odontológicos, tatuagens ou outros materiais sem esterilização realizada de forma adequada.
                                                                                                                                           
Tratamento da hepatite C

Atualmente, o tratamento para todos os tipos da doença é realizado com antivirais, geralmente o interferon e ribavirina, durante aproximadamente 48 semanas. Estes fármacos também podem ser utilizados juntamente com inibidores de proteases, mas tem muitos efeitos colaterais, e em torno de 50% a 70% dos pacientes em tratamento são curados.
            O tratamento com o novo fármaco é realizado durante aproximadamente 12 semanas, podendo estender por 24 semanas em pacientes com cirrose hepática, quando o fígado está fibrosado. O avanço pode ser percebido na redução do tempo de uso da medicação, quando comparado ao indicado atualmente, assim como nos efeitos colaterais que foram bem tolerados pelos pacientes, o que pode aumentar a adesão à terapêutica da hepatite C.
            Os estudos foram realizados em muitos países, no Brasil, a droga foi submetida para aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, onde uma espécie de teste em pacientes será realizado em 15 centros de pesquisas.

         Assim, esse novo medicamento aumenta as expectativas de cura e proporciona melhor qualidade de vida para os pacientes, uma vez que o tempo de uso da medicação é diminuído, quando comparado aos medicamentos indicados atualmente, assim como nos efeitos colaterais que foram bem tolerados pelos pacientes, o que pode aumentar a adesão à terapêutica da hepatite C. Porém, é válido divulgar que a hepatite C é uma doença onde o diagnóstico precoce é fundamental para melhores resultados no tratamento, e sem maiores complicações no fígado.


Referências

http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/novo-medicamento-e-esperanca-de-cura-da-hepatite-c

http://saude.ig.com.br/minhasaude/2014-07-22/novo-medicamento-curou-95-dos-pacientes-com-hepatite-c.html

http://www.folhaacademica.com.br/ver-noticia/4324/Novo-medicamento-pode-curar-hepatite-C

http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-07/novo-medicamento-e-esperanca-de-cura-para-pacientes-com-hepatite-b

Sem comentários:

Publicar um comentário