quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Teste rápido para diagnóstico da febre chikungunya

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu registro para o teste rápido para diagnóstico da febre chikungunya. O exame fabricado e comercializado pela empresa OrangeLife, única no país com responsável pela produção, faz uma análise precoce da doença. Com apenas uma gota de sangue o teste rápido detecta nas primeiras 24 horas de infecção a presença do anticorpo IgM (partícula do vírus causador da chikungunya).


Marco Collovati, médico e presidente da empresa, destaca que o exame é rápido e pode ser feito na beira do leito. “Funciona colocando uma gota de sangue em um recipiente com uma fita plástica. Depois são depositadas três gotas de uma solução química. O resultado sai em dez minutos. Se aparecerem duas linhas, o diagnóstico é positivo; se houver apenas uma linha, é negativo”, explica.

O último levantamento do Ministério da Saúde aponta 2.258 casos confirmados de febre chikungunya no Brasil, sendo 233 por critério laboratorial e 2.025 por critério clínico-epidemiológico. Do total, 93 casos são importados, ou seja, de pessoas que viajaram para países com transmissão da doença, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa.

A chikungunya tem sintomas parecidos com a dengue. Assim, até a confirmação da doença, é proibido por exemplo o uso da aspirina para aliviar as dores. O medicamento faz bem a quem tem chikungunya, mas é contraindicado em caso de dengue.


O tratamento consiste no alívio dos sintomas, que costumam durar de três a dez dias. É recomendado repouso, hidratação e o uso de analgésicos como o paracetamol

Sem comentários:

Publicar um comentário