sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Interações medicamentosas

Interação medicamentosa é o evento clínico em que o efeito de um medicamento é alterado pela presença de outro fármaco, de alimento, de bebida ou de algum agente químico. Constitui a principal causa de problemas relacionados a medicamentos. Portanto, é muito importante se informar sobre a utilização correta do medicamento com o médico ou farmacêutico.



O que são interações entre medicamentos?
São as interferências que ocorrem quando dois ou mais medicamentos são administrados ao mesmo tempo, podendo causar a diminuição ou o aumento do efeito esperado, ou ainda o surgimento de efeitos indesejados.

Exemplos:
ü  O efeito do anticoncepcional é reduzido quando consumido com um antibiótico.
ü  A vitamina K inibe a resposta dos anticoagulantes orais.
ü  O antiácido diminui a absorção dos medicamentos anti-inflamatórios (contra inflamações).
ü  Os antibióticos, como a tetraciclina, têm seu efeito terapêutico diminuído quando engolidos com antiácido.
ü  Anticoagulantes podem causar hemorragia se utilizados com alguns anti-inflamatórios, como o ácido acetilsalicílico.

IMPORTANTE: Para evitar que um medicamento prejudique o outro, informe sempre o médico e o farmacêutico sobre todos os medicamentos que você estiver usando.



Quais os riscos no uso de medicamentos com bebidas alcoólicas?
As associações entre medicamentos com bebidas alcoólicas podem levar a efeitos indesejados graves, inclusive com risco de morte. O álcool tanto pode potencializar os efeitos de um medicamento quanto neutralizá-los.


Tenha especial atenção no uso de álcool com os seguintes medicamentos:

ü  Analgésicos, antipiréticos e anti-inflamatórios: podem causar perturbações gastrointestinais, úlceras e hemorragias.
ü  Antidepressivos: diminui os efeitos, pode aumentar a pressão sanguínea.
ü  Antibióticos: podem causar náuseas, vômitos, dores de cabeça e até convulsões.
ü  Antidiabéticos: podem causar severa hipoglicemia (baixa glicose).
ü  Anti-histamínicos, tranquilizantes, sedativos: podem intensificar o efeito de sonolência e causar vertigens.
ü  Antiepilépticos: a proteção contra ataques epilépticos é significativamente reduzida.
ü  Medicamentos cardiovasculares: pode provocar vertigens ou desfalecimento, bem como redução do efeito terapêutico.



Como os medicamentos podem interagir com os alimentos?

Em algumas situações, os medicamentos também interagem com alimentos. Essas interações podem comprometer seriamente o tratamento, potencializando reações adversas ou diminuindo os efeitos terapêuticos dos medicamentos, ocasionando diversos prejuízos à saúde do usuário.

Alguns exemplos:

ü  O efeito da tetraciclina pode ser anulado pela ingestão com leite.
ü  Os anti-inflamatórios causam irritação no estômago, por isso devem ser administrados junto com as refeições.
ü  Alimentos gordurosos favorecem a dissolução da griseofulvina (antifúngico), aumentando sua absorção.
ü  A ingestão excessiva de açúcares em pacientes que fazem uso de antidiabéticos pode dificultar ou impedir a ação dos medicamentos.
ü  Pacientes hipertensos (pressão alta) devem diminuir o uso de sal nos alimentos.

IMPORTANTE: Prefira sempre tomar o medicamento com água, a menos que seu médico dê outra orientação.

Os medicamentos podem ser utilizados junto com plantas medicinais?

Se fizer o uso de chá a base de plantas medicinais ou fitoterápicos informe o seu médico, pois uma concepção muito comum na população é que estes não causam malefícios, o que é um engano. Não é indicado o uso de medicamentos com chás ou outros produtos à base de plantas medicinais, porque podem causar problemas sérios para o seu organismo. Além disso, os chás em geral diminuem os movimentos do estômago, o que pode interferir no processo de absorção do medicamento.

Exemplos:

ü  O uso de medicamentos à base de Hipérico (Hypericum perforatum) junto a anticoncepcionais pode diminuir sua atividade favorecendo a ocorrência de gravidez indesejada.
ü  O uso de Ginkgo (Ginkgo biloba) junto a varfarina ou ácido acetilsalicílico pode aumentar o efeito anticoagulante destes medicamentos, favorecendo a ocorrência de hemorragias.
ü  O uso de chá ou infusão de feijão tremoço junto com medicamento antidiabéticos pode potencializar o efeito e causar queda brusca da glicemia (hipoglicemia), podendo levar a coma ou óbito.


Qual a relação entre o uso de medicamentos e o trânsito?

Existem medicamentos que podem influenciar na capacidade de dirigir, afetar a coordenação motora, a percepção visual ou auditiva, o autocontrole, a percepção de perigo e o senso de responsabilidade.

Exemplos de medicamentos com risco sobre a capacidade de dirigir:

ü  Medicamentos oftálmicos (utilizar nos olhos)
ü  Tranquilizantes e sedativos (para os nervos)
ü  Anti-histamínicos (contra alergias)
ü  Antitussígenos (contra tosse)
ü  Anestésicos gerais e locais
ü  Anti-hipertensivos (para pressão alta)
ü  Antidepressivos (contra depressão)
ü  Neurolépticos (para problemas psicológicos)


Intoxicações por medicamentos

A intoxicação por medicamentos ocorre principalmente pelo seu uso acidental, em especial com crianças. Por isso, é muito importante armazenar esses produtos em locais seguros.

Há também outros casos de intoxicação:

ü  Pelo uso do medicamento de forma incorreta ou abusiva; erro de prescrição ou de administração; automedicação; e até mesmo com uso dos medicamentos de forma correta.
ü  Outra causa muito frequente é a tentativa de suicídio.

ü  Os medicamentos são a principal causa de intoxicação no Brasil.

1 comentário:

  1. Foi a primeira vez que minha neta veio até mim e confidenciou sobre sua batalha contra o herpes oral e genital e seus pensamentos autodestrutivos.

    Um vácuo enorme de medo e amor se abriu dentro de mim. Eu sabia o que era para ela estar em tal situação. Mas depois de ouvir como alguém que eu amo tanto lutou, não tenho opção a não ser prometer ajuda a ela. Eu queria ajudar de todas as maneiras possíveis. Procurei o conselho de uma enfermeira velha e experiente que conheci por lidar com ervas naturais porque acreditava na natureza. Depois de ouvir de mim, ela sorriu e antes que eu pudesse dizer outra palavra, ela respondeu que há cura, mas ervas naturais. Eu não me importo, contanto que meu filho esteja curado! Eu gritei. Ela me contou sobre um médico na África que curou pessoas do herpes. Ela me deu o e-mail dele drutuherbalcure@gmail.com, entrei em contato com ele imediatamente e pedi um remédio para meu filho, que ele me enviou pelo correio da UPS. Minha filha começou a tomar medicação e no dia seguinte suas feridas na boca estavam curando fisicamente e ela me disse que estava funcionando e em quatro semanas ela testemunhou para mim que ela estava curada! Sempre acreditei que a natureza tem cura para qualquer doença e fico feliz em dizer a todos que meu filho está curado.

    Seis meses depois, fizemos outro teste para ter certeza e aqui está o resultado,

    Seis meses após a medicação;

    Resultados do teste de hsv1 e 2;

    Igm - 1,49

    IgG - 0,36

    Ela não teve nenhum sintoma de novo e mudou-se felizmente e agora está em um relacionamento sério com sua noiva

    ResponderEliminar